5 tendências de consumo para 2021

5 tendências de consumo para 2021

Se o mundo já apresentava um crescimento acelerado nos últimos anos, os acontecimentos do ano de 2020 fez com que tendências que poderiam demorar anos até serem incorporadas ao nosso convívio, virassem rotina em questão de meses.

O consumidor mudou o seu comportamento, questões que já eram amplamente discutidas como o consumo consciente, alternativas ecológicas e sustentabilidade tiveram ênfase, acompanhadas das questões relacionadas a saúde e bem-estar.

Mas não foi só isso que mudou! Outros aspectos na forma como consumimos também se transformaram, formando algumas tendências de consumo para 2021 que tem tudo para ditar a nossa relação com as compras nos próximos anos.

Veja, a seguir, quais serão as tendências de consumo de 2021.

Comida saudável e versões vegetarianas e veganas

A necessidade de manter um sistema imunológico capaz de combater as mais diversas doenças nunca foi tão importante, o que aumentou as buscas pela alimentação saudável.

Não é por acaso que o consumo de alimentos vegetarianos e veganos tem previsões otimistas, com franco crescimento em 2021, uma sequência da popularidade do segmento que se iniciou no ano passo.

A força desse mercado ganha os holofotes quando grandes empresas cujo seus produtos advêm de origem animal, lançam versões vegetarianas e veganas, como é o caso da Perdigão e de redes de fast-food como o McDonald’s.

A alimentação saudável vai de encontro com outro enfoque social: o impulsionamento da economia local. Muitos consumidores estão preferindo adquirir produtos de pequenos produtores, buscando com isso, alimentos mais orgânicos, o que colabora com o sustento de famílias locais.

O maior empecilho dessa tendência é adequar seus preços. Consumidores entrevistados pelo Ibope alegam que consumiriam mais opções orgânicas, veganas e vegetarianas se os produtos custassem o equivalente àqueles de origem animal.

Comércio de vestíveis (wearables)

Em relação aos eletrônicos, a tendência está nos wearables, ou seja, os dispositivos tecnológicos que podem ser vestidos. Alguns exemplos são os melhores smartwatches e smartbands.

Muito mais do que itens de moda, os smartwatches e smartbands são aliados à outra modalidade que cresceu em 2020: a telemedicina. Esses dispositivos são capazes de monitorar os batimentos cardíacos, gastos de caloria, nível de oxigênio no sangue, qualidade do sono e demais informações que auxiliam no controle da saúde.

Outro ponto positivo desses recursos é a possibilidade de realizar pagamento por aproximação, gerando maior segurança ao consumidor, que tem evitado o contato físico com qualquer tipo de superfície. 

Cosméticos naturais e artesanais

A consciência ambiental e sustentável chegou também ao setor de higiene e beleza, com demanda de cosméticos produzidos com ingredientes naturais, orgânicos e livres de elementos nocivos e sintéticos.

O consumidor buscará ainda mais naturalidade e produtos que não apresentem risco a saúde. Os itens mais buscados são sabonetes, xampus e condicionadores produzidos com ativos naturais, sendo que já existem opções em composição sólida, cujo efeito é superior aos líquidos, além de dispensar embalagem plástica.

A principal mudança no setor de cosméticos será a comunicação. Enquanto anteriormente quem consumia esses produtos tinha um enfoque em suas causas, o objetivo será mostrar para outras consumidoras que esses produtos possuem os mesmos benefícios funcionais aos quais já estão habituadas.

O desafio é o mesmo enfrentado pelos alimentos veganos e vegetarianos: o preço. Entretanto, à medida que mais empresas adotem essa forma de produção e de produto, a oferta os tornará mais acessíveis.

Clube de assinatura

O mercado de assinatura é formado por consumidores que optam por pagar um valor periódico para receber uma certa quantidade de produtos.

Crescente no Brasil, esse tipo de negócio é bastante comum nos setores de livros, bebidas, alimentos, cuidados pessoais, entre outros.  Na verdade, é possível encontrar assinatura para os mais diversos produtos cujo consumo seja recorrente.

O lockdown de 2020 contribuiu ainda para o crescimento das assinaturas para conteúdo digital, como revistas, jornais, e também especiais para livros, como é o caso do Kindle Unlimited, um plano lançado pela Amazon.

Infoprodutos

A última tendência que seguirá com consumo alto são os infoprodutos, ou seja, produtos digitais que podem ser videoaulas, cursos online, ebooks e outros, itens que visam o compartilhamento de conhecimento e aprendizado.

Tendo teor educacional, esses produtos podem ser vendidos ou distribuídos gratuitamente. O Sebrae destaca que os vídeos serão a comunicação padrão no período pós-pandemia.

Além disso, plataformas como Youtube e Hotmart estão em crescimento por serem formas fáceis de monetizar o conteúdo disponibilizado, fazendo com que muitos especialistas possam compartilhar seus conhecimentos de forma fácil, atingindo um grande número de pessoas.

As tendências de consumo evidenciam a preferência e prioridades que o consumidor de 2021 terá por marcas que proporcionem conforto e tranquilidade, além de estarem comprometidas em criar uma sociedade mais sustentável.

Essa tendência dava pequenos passos há alguns anos, mas teve rápida evolução devido a todos os acontecimentos de 2020, resta as empresas se adequarem para mostrar aos seus clientes sua capacidade de transformação e adaptação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *